27.4.08

Crónicas de uma viagem (II).

A casa de banho da tenda faz jus ao que nos é dado a admirar quando chegamos. Abrimos o fecho éclair de uma das laterais e acedemos a um minúsculo terraço, um espaço íntimo onde está uma banheira sobre um estrado de madeira com uma vista deslumbrante sobre a savana. As toalhas, brancas e dobradas cuidadosamente num cabide improvisado feito de pequenos troncos, esperam-nos sem pressa que o banho acabe, mesmo que dure uma eternidade. E desejamos que se prolongue pela noite dentro enquanto o corpo repousa na água tépida e os sais de banho cumprem a árdua tarefa de o revigorar. Ao longe, escondendo-se no horizonte, o sol despede-se das girafas que se aproximam para jantar. Os nossos olhos fazem-nos viver um momento que a memória irá perpetuar. Em território Masai, onde o Quénia e a Tanzânia perdem a noção das suas fronteiras concebidas pelo Homem e onde a natureza uniu as terras de Mara e do Serengueti, as noites começam assim.

9 comentários:

av disse...

Valha-me Deus, Mike, viajar é a minha perdição... se continuam estas suas crónicas de África, ainda vendo o carro, despeço-me do emprego e faço as malas. E depois vou bater-lhe à porta, no regresso, porque a culpa da minha ruína foi sua! Isto se chegar a regressar, claro...

Mike disse...

(risada)...
Não posso garantir, mas acho que acaba por regressar, compra outro carro e arranja um novo emprego. A viagem por aquelas paragens, essa já ninguém a tira da sua memória... isso arrisco-me a garantir. :)

José Miguel Pereira disse...

Bem, digo-lhe já, senhor Mike, que se me disser que já viveu assim um pôr-do-sol, fico invejosa, até...deixa cá ver...amanhã por esta hora. Só depois é que começo a pensar no Peter's aonde me aconselhou ir, agora que se aproxima a minha ida ao Faial (isto é uma tentativa muito foleira de lhe fazer inveja também :) )

cristina ribeiro disse...

P.S. A invejosa sou eu :)
O meu sobrinho andou a trocar as voltas ao computador, e só agora me apercebi. Sorry :)

Mike disse...

josé miguel, tenho que ser honesto e dizer-lhe que sim, que já vivi mais que um pôr do sol assim. Mas invejoso fico eu por saber que o Peter's estará lá à sua espera. :)

Mike disse...

A Cristina invejosa e eu baralhado (risos). Boa estadia no Faial e se puder, dê um salto ao Pico, que está logo ali, mesmo em frente.

PSB disse...

Mike
Esta sua crónica tem o mérito de nos fazer sonhar e, de bem escrita, nos colocar virtualmente no cenário descrito (acho que ainda sinto o cheiro dos sais de banho). Inevitavelmente, faz-me lembrar a minha experiência africana, de novo. Longe do requinte deste seu banho, tenho bem presente o 'duche' espectacular que tomei debaixo de uma daquelas chuvas tropicias diluvianas, em pleno céu aberto, ou do 'banho de emersão' tomado numa poça de água pouco maior do que eu, depois de um dia de viagem seco e poeirento de centenas de quilómetros. Ambos me souberam 'pela vida'.
Um abraço.

Mike disse...

Pedro, agradeço as suas palavras.
E apareceu o sol de repente para lhe secar a camisa no corpo? Em África é assim...
Abraço.

PSB disse...

Não Mike. Eu tomei mesmo banho, à chuva e na poça, com sabonete, shampoo e toalha. No enquadramento em que estava - 3 semanas pela selva zairense num misto de safari e de rally - dormia-se em tendas de campanha ou no tecto do jipe quando o tempo permitia, e utilizava-se a água para a higiene com o racionamento necessário. Quando aparecia uma oportunidade 'oferecida de bandeja' para um banho a sério, como estas, os 50 nómadas, todos homens e de uma dúzia de nacionalidades diferentes, aproveitavam como uma dádiva. Todos todos não seriam. Sempre havia alguns mais porcos pelo meio.
Os dias de requinte e conforto foram só na partida e na chegada, em Kinshasa. Bela experiência.
Um abraço.

Arquivo do blog