17.5.09

Televisão em série

Televisão em série é coisa que não consumo, já faz tanto tempo que nem sei. Mas se desvio os olhos da televisão, não podia desviar a cara ao desafio da Cristina. Aqui ficam as séries de televisão de que me lembro ter gostado. Pensando bem, nem foi assim tão difícil a eleição, com o ranking liderado por Band of Brothers de Steven Spielberg (vi em São Paulo, não sei se passou por cá).

Band of Brothers, Letra L, Sopranos, Twin Peaks, Ficheiros Secretos, Simpsons, Sim Sr. Ministro, CSI

11 comentários:

Luísa disse...

Como é possível que só tenhamos em comum o Yes Minister, Mike? :-S

mike disse...

Luísa, eu diria que termos em comum o Yes Minister já quer dizer qualquer coisa, i.e., apreciamos humor britânico, boas produções, argumentos inteligentes com diálogos irrepreensíveis e excelentes interpretações. ;D

L. Rodrigues disse...

Band of Brothers.
Passou cá. Tenho a caixa de DVD :).

Letra L, parece-me um pouco ficção cientifica, mas a minha veia voyeur não se queixa.
Sopranos, vi demasiado pouco. Sempre que vi, gostei.
Twin Peaks, foi um marco, mas o que me ficou mesmo foram as actrizes da série: Sherlyn Fenn, Laura Flynn Boyle, Joan Chen, Madchen Amich, Cheryl Lee... (assim de memória, não sei se escrevi todos os nome bem)... Era uma grande galeria.
Simpsons? DOH!!
"Sim senhor ministro", achei muita graça, mas recentemente vi um documentário que apresentava a série como um facilitador do Thatcherismo, o que me fez colocar a coisa noutras perspectiva (no teu caso, deve marcar pontos positivos).

CSI, é um dos meus ódios de estimação. É mesmo mau.

Fiquei com essa convicção desde que os vi descobrir que um tipo tinha morrido por envenenamento por chumbo, por comer chocolates, por esses chocolates serem feitos de cacau que é produzido em sitios do planeta onde ainda se usa gasolina com chumbo. I rest my case.

Sugestões: The Wire, Roma, Deadwood.

L. Rodrigues disse...

Só uma adenda.
Também não consigo acompanhar séries hoje em dia. Primeiro a infidelidade horária, depois a profusão de canais, tiraram-me o hábito e a capacidade de reservar "aquela hora" por semana para ver a série que acompanhava.
Hoje em dia o meu consumo de séries faz-se em DVD, ou similar, e vejo-as como longas-longas-longas metragens.

Mike disse...

L., nem sei por onde começar. Pelo fim parece-me ser um bom princípio. The Wire é excelente e a dica foi tua há uns tempos atrás. Percebo o teu ódio de estimação em relação a CSI, mas eu gramo da ligeireza da coisa, mesmo com as imperfeições que mencionas. Essa do Sim senhor ministro deve ser para me dares uma alfinetada. Tinhas que te agarrar a qualquer coisa, bolas! Quanto ao resto estamos de acordo à excepção dos Simpsons. Cá em casa curtimos todos menos, claro, o mais novo.

p.s.- também tenho a caixa de DVDs do Band of Brothers (imperdível) e como te entendo em relação à Letra L. ;)

cristina ribeiro disse...

e logo esse- yes Minister - que eu esqueci, mas que está também entre as preferências...
Mike, este ano o Setembro chegou cedo, não? :)

Mike disse...

Cristina, não lance foguetes antes de tempo, menina. ;)

cristina ribeiro disse...

Mas não disse que seria nessa altura que ia responder ao desafio?

Mike disse...

Ups... pensei que se referia ao tempo, Cristina. Eu era lá capaz de fazer esperar uma senhora tanto tempo? ;)

L. Rodrigues disse...

Mike
o comentário aos Simpsons era positivo. Estava inclusive a citar o Homer.

mike disse...

Ups! L., li aquilo como um daaaah. Sorry. ;)

Arquivo do blog