24.5.09

O que é nacional é bom. (III)

Nem sequer faz parte de um desporto de tradição olímpica em Portugal, como por exemplo o hipismo, a esgrima, a vela ou o atletismo. O negócio nasceu de uma paixão de quem começou a construir os seus próprios barcos para poder competir. Tem reputação e reconhecimento mundial mas tem-se mantido irredutível quanto à permanência em Portugal, onde tem duas fábricas com mão de obra nacional. Dos cerca de 2000 barcos que saem anualmente da fábrica de Vila do Conde, 80% destinam-se à alta competição e são vendidos quase na totalidade no estrangeiro. Em 2006 abriu uma nova fábrica, situada também na região norte do país, que permitiu aumentar a capacidade de produção de kayaks, melhorar as condições de trabalho e, acima de tudo, apostar no remo como uma nova área de negócio. Para Manuel Ramos (Nelo), o segredo do sucesso dos seus barcos assenta em três factores: qualidade do produto, serviço e conhecimento. Os seus produtos, considerados dos melhores do mundo, são já dos mais medalhados em alta competição, mesmo a olímpica. E são portugueses os kayaks do Nelo.

(A pesquisa para este post foi suportada por um texto de Fátima Serrão in Sentido das Letras)

7 comentários:

LADY-BIRD, ANTITABÁGIKA, FÃ DO JOMI LOL E JÁ AGORA DOS NOSSOS AMIGOS ANTI-TECNOLOGIAS: MARCHANTE (se não existissem tinham que ser inventados) disse...

Mike, não fazia o miníma ideia que os kyaks eram do Nelo... e os remos são de quem da Idália???? lol

o que eu me ria com o "Nelo e Idália"... e o Zé Carlos, para quem o Nelo telefonava no sofá da sua bela sala!

As recordações que o "Nelo dos Kyaks" pode trazer =)

beijinho

mike disse...

... (silêncio)...
(Nélio e Dália?... do que será que esta moça está a falar?) :O

Luísa disse...

Mike, kayak não é aquela canoa que se prende à cintura do remador de modo que, quando se volta, o remador não consegue soltar-se e só se safa se, balançando o corpo debaixo de água, consegue rodar o kayak e repô-lo na posição original? Por que será que nunca somos os melhores nas coisas simples, seguras, normais? ;-D

LADY-BIRD, ANTITABÁGIKA, FÃ DO JOMI LOL E JÁ AGORA DOS NOSSOS AMIGOS ANTI-TECNOLOGIAS: MARCHANTE (se não existissem tinham que ser inventados) disse...

lol...
Boa Luísa...lol

Mike... o Nelo e a Idália, não sabe o que é???lol
O Herman José era o Nelo, e a Maria Rueff a Idália...

vem de que planeta...Planeta Melga???lol

beijinho

Mike disse...

Ó Luísa, porque, se calhar, esse é o nosso karma... escolher a via mais difícil e complicada. Para depois termos desculpa para o insucesso... que não é o caso da Nelo Kayaks. :D

Lady Bird... hum... Planeta Melga era algum programa de televisão com o Herman e a Maria Rueff, que me tenha escapado? ;)

ana v. disse...

Não fazia ideia da existência (e do sucesso) deste Nelo. Também me lembrei do outro, aliás uma figura inesquecível.
Boa, Mike. Mais um contributo para a auto-estima nacional.

Mike disse...

Este Nelo é um caso sério de sucesso, Ana (o outro também, pelos vistos). ;)

Arquivo do blog