17.5.09

Nas tuas mãos

Das tuas mãos me larguei para dar os primeiros e tímidos passos. E recebi o afago que me conduziu ao sono. Das tuas mãos me larguei para dar as primeiras braçadas no mar revolto. E me larguei, convicto, para dar as primeiras pedaladas. Das tuas mãos recebi a primeira medalha, celando a primeira vitória. E recebi a primeira espingarda. Das tuas mãos recebi os primeiros ensinamentos de como conduzir. Das tuas mãos recebi muito, mesmo sendo pouco. Por ser uma dádiva.
Por ser uma dádiva, não foi das tuas mãos, antes nas tuas mãos. Nas tuas mãos aprendi a andar. E adormeci serenamente. Nas tuas mãos aprendi a nadar. E aprendi a andar de bicicleta. Nas tuas mãos senti o primeiro sabor da vitória. E aprendi a caçar e a pescar. Nas tuas mãos aprendi a conduzir. E a conduzir a minha vida. Nas tuas mãos aprendi o sentido da vida, quando a morte se preparava para nos separar. E aprendi que a morte não nos separou. Não tive um pai. Tenho um pai. Apenas deixei de o ver.

(Escrito em 2007. 17 de Maio de 2007. Um ano depois de partires.)

24 comentários:

fugidia disse...

:-)

ana v. disse...

Um beijo.

Mike disse...

Gosto desse sorriso, Fugidia. O pai Mike nunca quis tristezas à volta dele, mesmo quando... :)

Obrigado, Ana. :)

Luz disse...

Ah...somos felizardos que os temos mesmo não os podendo ver.
Lindo!

Leonor disse...

Beijos, Mike.
Adoro a última frase. Apenas não os vemos.

Mike disse...

Obrigado, Lucia.
Fui e sou um felizardo. :)

Obrigado, Leonor. E não é que é mesmo assim? :)

Luísa disse...

Um beijo, Mike.
P.S.: Eu consigo ver (ou imaginar) mas não consigo ouvir, e fazem-me falta os seus conselhos que eu nunca seguia. :-)

mike disse...

Obrigado, Luísa. :)
P.S.- típico de uma menina rabina. (risos)

teimosita disse...

Lindo texto! Obrigada pelo seu beijo de há uns dias atrás.Um abraço grande.

JúliaML disse...

assim é, Querido Mie. Aproximamo-nos cada vez mais. Snto o mesmo em relação aos meus..

Leonor disse...

Está perdido, Mike, a minha mãe descobriu-o. Olhe aí em cima... pois é, a teimosita é ela. Ai das suas vírgulas... ;-)

Mike disse...

Teimosita, até tremo só de pensar nas malditas vírgulas. E a Leonor ainda coloca mais pressão sobre este pobre rapaz. (riso nervoso)
Um abraço. :)

Sei como sente, Júlia. :)

Leonor, não, me, ponha, mais, nervoso. (risos)
Olhe lá para esta miséria de comentário cheio de vírgulas... que trapalhada. (mais risos)

Patti disse...

Um beijinho, Mike.
Um dia, os seus filhos dirão o mesmo de si. É isso que os nossos pais nos deixam.

Mike disse...

Obrigado, Patti. :)
Os meus vão dizer que o pai era um anjo. ;D

Patti disse...

Os rapazes, claro.
Já ela ...

Mike disse...

Elas, Patti. São duas. E também dirão o mesmo. (risos)

Patti disse...

Logo duas?
Então é que não dirão o mesmo de certezinha.

Mike disse...

São aos pares, Patti. Menina, menino, menina, menino.
Dirão sim, ora. :/

cristina ribeiro disse...

Abraço, Mike

Mike disse...

Obrigado, Cristina.
Outro para si. :)

Grande Jóia disse...

Só agora aqui cheguei. A vida é feita de partidas e chegadas, mas as estações ficam.
Um abraço.

mike disse...

Um abraço, GJ. :)

Anónimo disse...

Lindo, profundo e sincero!

Mike disse...

Obrigado, anónimo. Apenas considero sincero. Lindo e profundo é simpatia sua. :)

Arquivo do blog