30.10.08

Amigo

Mal nos conhecemos
Inaugurámos a palavra “amigo”.

“Amigo” é um sorriso
De boca em boca,
Um olhar bem limpo,
Uma casa, mesmo modesta, que se oferece,
Um coração pronto a pulsar
Na nossa mão!

“Amigo” (recordam-se, vocês aí,
Escrupulosos detritos?)
“Amigo” é o contrário de inimigo!
“Amigo” é o erro corrigido,

Não o erro perseguido, explorado,
É a verdade partilhada, praticada.

“Amigo” é a solidão derrotada!

“Amigo” é uma grande tarefa,
Um trabalho sem fim,
Um espaço útil, um tempo fértil,
“Amigo” vai ser, é já uma grande festa!

Alexandre O’Neill, in No Reino da Dinamarca

Deu-me uma vontade de voltar ao grande O’Neill, que estou a reler. Às vezes dá-me para isto, o que é que querem que vos diga? Mas não dispenso o Calvin e o seu amigo Hobbes na mesa de cabeceira.

10 comentários:

cristina ribeiro disse...

Coincidência, Mike: hoje também andei pelo Reino da Dinamarca, mais concretamente por Elsenor, e lá encontrei também a solidão; derrotemo-a com a Amizade, como sugere O'Neill!

Luísa disse...

Podia dar-lhe para pior, Mike. Às vezes, também acontece… ;-)
Mas gostei muito. Identifico no poema um louvor indirecto à solidez de uma amizade que resiste a todas as ironias. ;-D
Quanto ao Calvin & Hobbes, temos mais um companheiro inseparável? :-)

ana v. disse...

A amizade é (quase) tudo o que há de melhor na vida.

Mas aquela do “Amigo é o contrário de inimigo" lembrou-me a Lili Caneças, não sei porquê... ;-)

(Não se zangue comigo, Mike. Não é aqui que se desconversa?)

Mike disse...

Sugestão aceite, Cristina. :-)

A Luísa consegue sempre ver coisas que eu não vejo. (risos)
E deixe-me que lhe diga que ultimamente está muito contestatária. (mais risos)
Temos sim senhora. Descobri já há algum tempo, que gosto de me rir antes de adormecer. Parece que o sono é melhor. :D

Nada de nos esquecermos do vil metal, Ana. ;-)
E porque haveria? Gosto que desconverse. :D

fugidia disse...

Ora, ora, não querem ver que o Mister até já posta poesia?
:-p


Mas faz bem e o tema é bom :-)
Como dizia Simone Weil, «a amizade não se procura, não se sonha, não se deseja; ela exerce-se.»
Beijo respeitoso e amigo :-p

José, o Alfredo disse...

Se não me engano, o O'Neill deixou instruções para que na tumba fosse devidamente assinalado que tinha dormido pouco. Se calhar faltava-lhe um Calvin à cabeceira...

mike disse...

Ora, Fugidia, acho que não me renderei à poesia. Creio que é demasiado tarde, ou talvez ainda seja cedo. (risos)

Não te enganas, não, José. E se calhar tens razão.
Abraço.

Corine disse...

acho lindo...como só podia.

Paulo Cunha Porto disse...

Congratulo-me que a Tua incursão poética, Meu Caro Mike, tenha eleito O´Neill, de que tanto gosto.
Num conto de Jorge Luís Borges li que "acabamos sempre por nos assemelharmos aos nossos inimigos" Pois o conceito de Amigo é o contrário disso,realmente, o de comunhão na diferença.
Abraço

mike disse...

Obrigado, Corine. :-)

Desconhecia o que Acabaste de me contar, caro Paulo. E não há como discordarmos de Jose Luis Borges.
Abraço.

Arquivo do blog