22.6.08

Maestro, matemático ou geólogo?!?

A confiar numa certa teoria da reencarnação eu teria sido um maori.

No sé si le parecerá bien o no, pero usted era males en su última encarnación terrena. usted nació en algún lugar del territorio que hoy es Oceanía en torno al año 875. Su profesión era maestro, matemático o geólogo.

Un breve perfil psicológico de su vida pasada: una de esas personas que están siempre con cosas nuevas. Siempre le gustaron los cambios, sobre todo en arte, música y cocina.

La lección que su vida pasada le ha dado para la encarnación actual: su lección es aprender la discreción y la moderación para entonces enseñar a los demás a hacer lo mismo. Su vida será más feliz si ayuda a quienes carecen de razón.


O que me deixa intrigado nesta minha reencarnação, é o facto de, tanto quanto sei, esse território que hoje é a Oceania, por volta do ano 875 ser apenas habitado por aborígenes na sua maioria de raça maori. Maestro, matemático ou geólogo? Sem contudo poder duvidar que existiam essas profissões, à luz da civilização ocidental em que fui educado, parece-me um nada estranho. Mas para quem fala em emigrar para a Austrália, não deixa de ser um prenúncio.

14 comentários:

Júlia Moura Lopes disse...

vê-se pela cara que já à época matava pássaros :-)

fugidia disse...

Diga-me, Mister, onde achou isto?
Sempre gostaria de saber o que fui eu :-)

P. S. Agora é mais giro, Mister (risos abafados)

mike disse...

Júlia, está explicada esta minha tendência homicida de alados. :)

O Réprobo postou recentemente um texto a propósito, com um link.
E grato pelo elogio, Fugidia. :)

O Réprobo disse...

A Dona Fugidia não me anda a ler! Malvada.
Quanto ao matemático Maori, Caro Mike, aposto que é um aviso para fazer bem contas à vida, antes de Se precipitar na emigração de volta a essas regiões...
Abraço

fugidia disse...

Ora, ora, Rép. isso não é verdade :-)))
Já lá fui e volto agora :-p

mike disse...

Porventura tem razão Meu Caro. Se bem que as contas à vidas seriam feitas a virar frangos e algures no breve perfil psicológico é abordado o assunto da cozinha. :)

Júlia Moura Lopes disse...

Porque Vxa não atira os tiros aos pratos?

mike disse...

Ora Júlia, é o que tenho feito nos últimos 2 anos e meio... :)

ana v. disse...

Mas é claro, Mike, está tudo esclarecido: virar frangos (os tais "cambios en la cocina") na Austrália é mesmo o seu futuro! Pode avançar sem medo, depois desta sábia premonição...
(risos)

mike disse...

É não é, Ana? :)

ana v. disse...

E se os australianos não se entusiasmarem com os frangos (mau gosto deles, claro...) também poderá ser muito feliz a trabalhar num hospício, cumprindo a lição da sua vida passada: "Su vida será más feliz si ayuda a quienes carecen de razón".
Aí tem, um futuro prometedor!
;)

Luísa disse...

Meu caro Mike, não querendo com isso insinuar coisíssima nenhuma, informo que, no meu passado, posso ter sido um cozinheiro na Sumatra… :-D

mike disse...

Cara Luísa, registo respeitosamente o seu comentário. Não será considerada sócia ou concorrente. (risos)

L. Rodrigues disse...

"Sem contudo poder duvidar que existiam essas profissões, à luz da civilização ocidental em que fui educado, parece-me um nada estranho."

Ora, Mike, devia haver Maoris que faziam contas e pensavam em números, os que ensinavam e dirigiam ou criavam os canticos, e de pedras também devia haver quem percebesse mais que os outros... quanto mais não fosse para escolher o melhor para a estatuária e armamento...
A "job description" pode ser um pouco diferente da actual mas a substancia de cada actividade seria a mesma...

Arquivo do blog