16.11.09

Porque hoje é segunda-feira, os meus filmes.

Já soube parte dos diálogos, tantas foram as vezes, creio que sete, que vi Casablanca. Curiosamente, eu que nem sou apreciador de teatro, Michael Curtiz dirigiu Casablanca, em 1942, baseado numa peça de teatro. Alguns críticos consideram-no o melhor filme de todos os tempos. Não iria tão longe, até porque existe Citizen Kane. Casablanca marcou-me para sempre e, neste caso, não foi pela estatística dos prémios (Óscar para o melhor filme, melhor realizador e melhor argumento, para além das nomeações para melhor actor principal, melhor actor secundário, melhor fotografia, melhor montagem e melhor banda sonora). As interpretações irrepreensíveis de Humphrey Bogart e Ingrid Bergman foram marcos nas carreiras de ambos e referências pessoais na forma como passei a olhar para o cinema. Casablanca tem, porventura, os diálogos mais memoráveis do cinema. E tem tudo o que a vida tem. Cinismo, paixão, medo, homens que se dão com Deus e com o Diabo, mistério, incerteza, corrupção e esperança. Casablanca não foi, para mim, o início de uma bela amizade com o cinema, mas uma amizade que, estou e crer, se perpetuará até ao fim da minha vida. E sim, a Ingrid Bergman era linda.

13 comentários:

fugidia disse...

Eu não disse?
Humpfrt!

fugidia disse...

(fazendo um esforço para não ver como a IB era linda, fico a cantarolar, focada em quem é cota :-p , «and when two lovers woo, they still say "I love you", on that you can rely, no matter what the future brings, as time goes by»...)

:-)

GJ disse...

Casablanca é um filme que ninguém esquece. Tem tudo, o Bogart, a voz, a música, a paixão, as lágrimas, a intriga política, o drama, a magia e a Ingrid mulher linda e de olhar sonhador. Uma excelente actriz com uma beleza rara e intrigante, feições bem definidas e ao mesmo tempo suaves. Como se diria hoje, uma mulher com carácter.
Gostei!;)

Mike disse...

Não disse o quê, Fugidia? E a menina a dar-lhe, e hein? (risos) :D

...................................

GJ,

E não é que desta vez estamos de acordo, colega? (risada)

Luísa disse...

Ah, esse já vi algumas vezes, Mike. E gosto muito. É certo que me irrita ligeiramente o papel sonso (e o olhar de carneiro mal morto) da pequena. Mas o marido dela é um Homem (com maiúscula). E o Rick é um MAcho (com duas maiúsculas). E até o Capitão Renault é um CAPitão (a que, nessa qualidade, concedo três maiúsculas). E o Sam é o SAM (tudo maiúsculas!) A música é o máximo! Uma excelente escolha inicial, Mike. :-)))

Mike disse...

Obrigado, Luísa... uff! (riso nervoso)
Estou certo que nem sempre considerará a escolha como boa, mas para começar, sinto-me aliviado. ;D

bacouca disse...

Mike,
Acredita que não vi"Casablanca"? Juro que é verdade! Mas ainda vou a tempo num tempo já um pouco retardado não?
A actriz (caraças sou bruxa?) não é só linda como tem charme
Xi.

Mike disse...

Vai sempre a tempo, Bacouca. Aproveite. Veja o filme com calma e sem interrupções, se for possível. :)
Um xi.

cristina ribeiro disse...

Muito, muito bem, Mike- e a cópia a preto-e-branco é outra loiça.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Prometem estas segndas-feiras... Para começo de conversa, um filme memorável, mas espero ver por aqui, um dia destes, o meu preferido.

Mike disse...

Cristina,

Sempre e sempre a versão a preto-e-branco. Não que tenha algo contra a versão a cores, apenas preferência minha. :)

...................................

Carlos,

Vamos ver se acerto no seu filme preferido. Um abraço.

JB disse...

Talvez tenha visto o Casablanca mais de 10 vezes. E, invertendo o que diria o Chico Anísio num célebre programa brasileiro, lindo sou eu, a Ingrid Bergman é apenas o máximo.
Abraço casablanquense (ou casablanquenho?)

Mike disse...

JB,

Caríssimo, eu falei em 7, mas devem ter sido mais, que lhes perdi a conta. Quanto à Ingrid Bergman, estamos de acordo. Lindo sou eu, também. Ela é simplesmente deslumbrante. Um abraço desses. (risos)

Arquivo do blog