13.11.09

O que é nacional é bom (XIX)

É o realizador mais velho do mundo em actividade e autor de trinta e duas longas-metragens. É professor honorário da Academia de Cinema de Skopje, recebeu o Prémio Mundial do Humanismo, é doutor honoris causa pela Universidade do Algarve, recebeu distinções nos festivais de cinema de Cannes, Veneza e Montreal, as suas obras foram reconhecidas com o Leão de Ouro por duas vezes, recebeu uma Palma de Ouro e foi condecorado pelo Presidente da República com a Ordem de Sant’iago e Espada. Manoel de Oliveira é um cineasta admirado, respeitado e com reputação mundial. Manoel de Oliveira é nacional e é bom.

5 comentários:

Luísa disse...

…… (silêncio de profundo respeito pelo homem e de profunda admiração pela sua reputação mundial) ……

Mike disse...

Não sou fã, Luísa. Mas não posso deixar de admirar e respeitar o nosso realizador. :)

GJ disse...

É sim, senhor, embora seja dificil ver um filme até ao fim sem bocejar.:)
Para mim, ele é sempre e em primeiro lugar o verdadeiro Aniki-Bobó.Só por isso merece a minha consideração.

Mike disse...

Creio não restarem dúvidas sobre a respeitabilidade, GJ. Quanto aos bocejos, junto-me a eles. ;)

bacouca disse...

Mike,
Como sempre fui "spidada" acho que nunca teria tempo para ver um filme de Manuel de Oliveira!!! Agora que tem mérito tem. A energia dele esvai-se nos filmes...
Xi

Arquivo do blog