14.7.09

O que é nacional é bom (IX)

Continua a ser o expoente máximo do fado e é aclamada por muitos como a voz de Portugal. Amália Rodrigues está sepultada no Panteão Nacional entre outros portugueses ilustres e é respeitada nos quatro cantos do mundo, onde a sua voz imortalizou o fado, canção nacional.

22 comentários:

fugidia disse...

Sim, é.
E o Mister até pode não gostar de fado, mas a imagem da Amália pode ser reutilizada na próxima segunda-feira; foi actriz e era bonita :-)))

cristina ribeiro disse...

Viva! O Mike a dizer bem do Fado ( pronto, está bem, não é do Fado, mas da voz da fadista - também não podemos exigir demais :) )

Mike disse...

Fugidia, dizem que cantava o fado como ninguém, era bonita sim senhora e foi actriz, mas não está de acordo com os meus critérios de qualidade para ter presença à segunda-feira. :P

...................................

É nacional e é boa, Cristina. E sim, não exija demais que estou apenas a ser rigoroso com os padrões que defini para este tema. :)
Cumpre-me dizer bem da Amália mas isso não significa que goste de fado, menina. ;)

GJ disse...

Tem piada que ainda há pouco brinquei com o "obrigado,obrigado"...
A Amália dos seus tempos não havia outra igual, mas existiam fadistas muito bons que nunca tiveram o mesmo êxito. Para mim era um tédio ter de ouvir os discos dos meus pais. Aprendi a gostar da Amália quando aprendi a essência do fado. Está aqui muito bem no que é nacional é bom!

Não posso deixar de relembrar uma história que o David Ferreira contou à Paula Moura Pinheiro. "Em minha casa não se podia dizer mal da Amália. Um dia ela veio jantar lá a casa e eu que teria 14 ou 15 anos, esperei que ela estivesse a entrar para colocar os Beatles em altos berros para que se ouvisse na casa toda. Quando desci, ela sorriu e o meu pai só me disse: Deixe de ser parvo e cumprimente a Senhora Dona Amália" (citei de memória)

Achei esta história deliciosa porque reflecte a rebeldia de quem já não podia ouvir falar na fadista. E que era o sentimento de muitos dos jovens da época.

Mike disse...

Gostei de ler o seu comentário, GJ. É sabido que de fado nunca gostei, não gosto e acho que jamais gostarei. Sem rebeldia à mistura, creio tratar-se de uma questão de "pele". Mas, a Amália é a Amália e achei que, com toda a legitimidade e justiça, deveria figurar entre os "meus" eleitos nacionais.

Catarina disse...

A minha Mãe (que tinha uma linda voz) gostava de cantar os fados da Amália, quando eu era miúda. Daí me ficou o gosto pela artista. Já mais velha, aí pelos meus 25 anos, fui convidada por uns amigos dos meus Pais, em Luanda, para um jantar em casa deles e quem estava lá, a cores e ao vivo? A Amália, que se negou a cantar, apesar dos muitos pedidos dos convivas, por estar rouca. Mas foi de uma simpatia extrema. Nunca mais me esqueci daquele jantar. E gosto de fado, não do brejeiro, mas do sério, tanto do de Lisboa como do de Coimbra. Bjs

Luz disse...

Essa já é imortalizada e universalizada pela sua voz perfeita!!
beijinhos Mike

Mike disse...

Catarina, :)
Eu só oiço fado de Coimbra e não pode ser durante muito, nem cantado por toda a gente. Verdade verdadinha é que não gosto de fado... mesmo! :)

...................................

Luz, nada a apontar à voz. Pena é que fosse para cantar fado... (risos)... (isto é uma heresia, eu sei.)

ana v. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ana v. disse...

Muito bem, Mike! Não esperava esta de ti...

E deixa que te diga que a Amália não cantou só fado, cantou muitos outros géneros musicais e em todos se saíu bem. Não foi bem aproveitada como actriz, nem nunca se interessou muito por isso (teve convites até para Hollywood).

Eu já conhecia essa história do David, GJ, mas também lhe digo que assim que lhe passou a rebeldia rendeu-se à voz e à própria Amália, que era uma mulher com um carisma especial em muitos aspectos. Conhecia-a pessoalmente, posso garantir que enchia uma sala e estivesse quem estivesse só ela brilhava, mas naturalmente. Era uma personalidade fortíssima. Acho que a Catarina confirmará o que digo, se a conheceu também.

mdsol disse...

Obrigado, Obrigado diria ela a mais esta evocação do seu talento!

:))

Mike disse...

Obrigado, Ana. :)
Posso não gostar de fado mas a Amália é A referência. Olha, quando dei início à pesquisa, posso garantir-te que foi das primeiras personalidades seleccionadas, mesmo não sendo das primeiras a ser postada.

...................................

Maria do Sol, :)

Luísa disse...

Mike, espero que esta sua escolha, atendendo aos seus gostos, não represente um primeiro sintoma de falta de material para a rubrica d’«O que é nacional é bom». Pessoalmente, também não deliro (prefiro o fado cantado com voz grossa, rouca do tabaco e do carrascão). Mas reconheço que o seu mérito e o seu sucesso só nos prestigiam. :-)

bacouca disse...

Mike:
Acho que a Amália contribuiu também para que muitos portugueses olhassem para o fado de outra maneira. Foi a nossa melhor embaixatriz. E além disso, sendo de origem muito humilde soube aprender pois era inteligente. Eu tive a sorte de a conhecer pessoalmente em Macau e posso dizer que era uma Senhora.
Um beijinho

Mike disse...

Eu sei que a Luísa é das poucas pessoas que me acompanha neste "torcer o nariz" ao fado. As razões desta escolha foram perfeitamente percebidas por si. :)

...................................

Não contesto, Bacouca. Por isso a Amália foi escolhida por isso mesmo, apesar de eu não gostar de fado. :)

JúliaML disse...

o meu comentário? :-(

eu nao gosto de fado e não acho a Amália bonita, mas tem garra e gosto da mulher. tal qual como com a Florbela Espanca, fascina-me a mulher, nao a poetisa.

mike disse...

Eu sei que a Júlia não gosta de fado. Olhe podemos criar um clube muito restrito. ;)
Mas acho a Amália bonita e sem dúvida uma grande cantora. :)

Rita Roquette de Vasconcellos disse...

Hi Mike ...
Leio os comentários e o seu post e não posso deixar de pensar na palavra 'identidade'.

É assim que vejo a Amália. Não gosto especialmente de Fado .. mas tem dias!

bjinhos

ps
o Walterzinho enjoa... não o leve para muito longe sff...
:-)

prilidac disse...

Há muito anos meu pai me obrigou a ir a um show da Amália Rodrigues aqui no Brasil. Eu era uma aborrescente punk e fui com papai e mamãe ao show. Saí de lá convicta de que não gosto de fado. Mas a Amália mandou bem, inegavelmente. :)

Beijinhos

prilidac disse...

Opa! Saiu meu comentário com meu e-mail de orkut. Perdoe-me. Quem falou como prilidac, na verdade é a Marie Tourvel, tá? :))))

Mais beijos.

Marie Tourvel disse...

Errei novamente. Que vergonha. :)

Mike disse...

Rita, a palavra identidade faz todo o sentido quando é da Amália que se fala. :)

p.s. - fique tranquila que não levo o Walter para longe... mas vai fazer-lhe bem sair das saias das "tias". (risada)

...................................

Marie "Prilidac" Tourvel, seja bem vinda. (muitos risos)
Comigo passa-se exactamente o mesmo: acho que a Amália manda bem, o problema é o fado. ;)

Arquivo do blog