30.9.09

O que é nacional é bom (XV)


São cerca de cinco milhões espalhados pelo mundo. Tenho um profundo respeito e admiração pelos nossos emigrantes. Pelas razões que, creio, todos sabemos, e mais alguma. São portugueses e consta que, na sua esmagadora maioria, são bons.

19 comentários:

GJ disse...

Somos bons, sim senhor! Antigamente dizia-se que só emigrava quem necessitava.
Hoje eu direi que emigra, quem pensa que tem direito a ser reconhecido pelo seu trabalho. Os mais novos são disso um exemplo e a globalização ajuda (eu bem queria evitar o jargão ...)

Luísa disse...

Uma merecida referência, Mike, a essa nossa gente cheia de iniciativa e audácia. :-)

Patti disse...

Ora não é que estamos 100% de acordo?

Mike disse...

GJ,

Diz e muito bem, que os tempos são outros. Hoje emigra mão de obra especializada e massa cinzenta, para mal dos nossos pecados.

...................................

Luísa,

Obrigado. Acredite que foi um dos primeiros exemplos em que pensei, apesar de só agora ter postado. :)

...................................

Patti,

Ena, pelas minhas contas, diria que a média ia em 90%, mas com este tema vai subir mais uns pontos. :)))

Dulce Braga disse...

OPS...
Obrigada pela homenagem! Não poderia ter sido num dia mais do que especial para mim: o dia em que meu livro, nascido brasileiro, mas filho de mãe portuguesa, tem endereço certo em Portugal ;))

Lisa Nunes disse...

Mike,
antes de mais nada, que belas photografias :)
Eu sou uma prova viva disso:
Meu avô paterno, era filho de um português (com uma italiana)
"Ora pois", deu no que deu: essa que voz fala, logo uma mistura fina !!
Beijos rizonhos

L. Rodrigues disse...

Quando os recursos materiais e humanos de um país não se encontram, um deles tem que partir, ou definhar sem sentido.

Ana Mestre disse...

Posso desconversar um bocadinho??

Mike disse...

Dulce,

Acredite ou não, foi propositado. (muitos risos marotos)
Há coincidências que não se explicam, não é? :D

...................................

Lisa,

Obrigado. :)
Sangue português e italiano? mas isso é uma mistura explosiva, menina. (risos)

Mike disse...

L.,

Pois... quando assim é...
Será que uns partem e o país definha?

...................................

Ana,

Pode, claro! Este é o lugar indicado para desconversar. Consegue fazê-lo em poesia? ;D

Ana Mestre disse...

Vamos então meus amigos
Vamos todos desconversar
Isto tudo para provar ao Mike
Que desconverso
A rimar...

:))))

Mike disse...

Ana, :)))

cristina ribeiro disse...

Dos que levavam " mala de cartão " até aos novíssimos emigrantes. São bem acolhidos nas estranjas porque são bons.

Mike disse...

Pois são, Cristina. Sem dúvida alguma. :)

ana v. disse...

Merecidíssimo, porque somos mesmo bons lá fora. Só é pena que se dê o estranho fenómeno de não sermos assim cá dentro. Deve ser um micro-clima qualquer...

Mike disse...

Acho que tens razão, Ana. Vais ver que é mesmo um micro-clima. ;)

Ana Campos disse...

Emigrantes e a sua mala de cartão.
Triste vida passaram para puder ter alguma coisa na vida.
Bem lembrado!
Um beijão

Anónimo disse...

Mike,
São bons são e desde o mais humilde, sempre bons "embaixadores" do País. Por vezes, e isso nota-se mais aqui no Norte, irrita-me um bocado aquela mania de só falarem françu. Mas comecei a compreendê-los com um filme português que o Vabenne aconselhou-me:Aquele lindo Agosto (ou algo parecido!).
Não se esqueça do que lhe disse: somos um país agricola - uns cavam, outros cavaram e ficam os nabos (eu já entrei nessa "especie"!!!).
Beijinho
BACOUCA

Mike disse...

Ana,

Obrigado. :)

...................................

Bacouca,

Eu por enquanto estou na fase dos "nabos", mas não a dou como definitiva... como, aliás, nada o é na vida. :)

Arquivo do blog