4.11.08

Meus companheiros inseparáveis (II)


B.B. King... velhos são os trapos, não é Mr. King?

13 comentários:

Luísa disse...

Não é um companheiro inseparável, mas gosto, Mike. Mas não o fazia tão musical. Nem tão selectivo nas companhias inseparáveis. Sinto-me até um pouco amesquinhada com a minha escova dos dentes, o meu Evian Facial Spray, a minha Canon digital e o meu leque «Maria Callas»… ;-D

fugidia disse...

Hum... cheira-me que ainda não chegámos à "caça grossa"...
lol lol lol

ana v. disse...

Também não é um dos meus companheiros inseparáveis, mas também gosto.

Esperemos pela caça grossa como diz a Fugi, que parece saber do assunto. ;-)

mike disse...

Luísa, na verdade os blues são meus companheiros inseparáveis. B.B. King personaliza-os e tenho um especial carinho pelo velho blues-man. :-)

Caça grossa, Fugidia? Como é que a menina costuma dizer? Abixornada? é como fiquei com essa da caça grossa... música mais pesada? ;-)

Como disse à Luísa, são mais os blues. Essa da caça grossa deixou-me abixornado (será com ch?), mas admitamos que a Fugidia está na expectativa de música mais pesada. Lá chegarei sim, mas o conceito de pesado depende de quem ouve. :-)

Leonor disse...

Que foto fantástica :-)

mike disse...

Leonor, :-)

fugidia disse...

Ai, ai, ai, a «senilidade» avança em várias frentes (risos abafados)... :-p

Vamos lá então ver se eu explico o trajecto dos meus neurónios quando decidem construir umas espécies de silogismos:

1. O Mister postou música clássica e agora jazz;
2. O Mister tem a «mania» de desconversar;
3.Logo, é de ponderar a possibilidade de o Mister prepara-se para nos atirar com heavy metal a seguir (com mais uns doces pelo caminho, em jeito de preparação)...

Acresce que:
1. O Mister é caçador;:
2. O Mister já postou sobre caça grossa (eu até tive que me esconder que as minhas gargalhadas estavam a espantar a bicharada...);
3. Na caça (calculo eu, que não sou caçadora) pode começar-se pelas perdizes e vai-se aumentando o «tamanho» do bicho...

Conclusão:
Depois da música clássica e do jazz vem bicho «pesado» de certeza, não? :-p

Menos abicho(r)nado?
:-)))

mike disse...

Hum... parece-me ser um raciocínio claro e lúcido. Não considero o heavy metal um companheiro inseparável... já o Grunge, Rock, ou o House... ;-)
Ah, Fugidia, por enquanto fiquei-me pelos Blues, mas pode estar certa que o Jazz é um dos companheiros de que não dispenso a companhia. :-)

fugidia disse...

lol lol lol

(a senilidade pega-se?, só de o ler? xiiii, estou... frita :-p)

Deixe lá, eu é que gosto do jazz e estava a pensar nele quando postei
:-)

Paulo Cunha Porto disse...

Respondo pelo interpelado: É!
Abraço, Caro Mike

ana v. disse...

Humm... pois! Tudo se pega, é um perigo. ;-) lol

fugidia disse...

Cruz credo, Ana!
Eu sou uma jovem; a senilidade pega-se entre os cotas...
(risos abafados)
:-)))

mike disse...

E eu é que estou a ficar senil, é menina Fugidia? Estava a pensar no Jazz... humprfff!!!

Agradeço-Te, caro Amigo Paulo.
Abraço.

E ainda levo com ironias, Ana? Mas eu agora virei saco de pancada?... aaiiiii...

Fugidia, cá para mim a menina anda a comer elásticos, sabia? (risos)
Está-se a esticar, é o que é... depois queixe-se. ;-)

Arquivo do blog