7.2.10

Pelo sim, pelo não...

Disse-lhe ele, num desabafo em tom de ameaça: "vou telefonar ao teu irmão, que te conhece bem e há-de dizer-me como lidar contigo, que és rabugenta". Respondeu-lhe ela: "ele há-de dizer-te larga-a". Ele não telefonou.

13 comentários:

ana v. disse...

E fez ele muito bem. Queixinhas, hein?

fugidia disse...

Não telefonou?
Porquê? (sorriso angelical)
:-D

Mike disse...

Pois, Ana... queixinhas não é muito bonito... ;)

...................................

Fugidia,

Ora, acho que ele não ligou temendo a resposta do irmão... não fosse ela "agora aguenta-te, pá!" (riso abafado)

fugidia disse...

Hum... tipo «ajoelhou, vai ter que rezar...»?
:-)))

Mike disse...

Fugidia,

Hum... hã?... pois... é isso, sim... (risos)

GJ disse...

Bem feito! Olhe e pelo sim pelo não, passe lá por casa e complete o questionário doméstico do savoir-faire ;)

bacouca disse...

Mike,
O pobre coitado (fazer chantagem com o maninho?) está é apaixonado! Essa é que é essa!!!
Xi

L. Rodrigues disse...

Não tem nada a ver.
Lembrei-me de um grafitti simultaneamente comovente e perturbador, que vejo todos os dias quando passo no 28.
Alguém achou por bem escrever numa parede "Amo-te, mana".

Mike disse...

GJ,

Sou um anjinho muito inocente Colega... à espera de ter a sua solidariedade... humprfftt!!
Eu já passei aí por casa mas não vi como responder ao questionário... vou tentar de novo. :)

...................................

Bacouca,

Pobre coitado mesmo. Ele está tramado... (risos)
Um xi.

...................................

L.,

Tens a certeza que leste bem? não terá sido "amo-te Nana"? ;)

GJ disse...

Tem de ir à caixa de comentários do "rotinas com savoir-faire"...;)

Mike disse...

Ah... ok. :)

Luísa disse...

Fez muito bem esse seu amigo em não arriscar a consulta ao irmão da «sua mulher», Mike. As mulheres rabugentas são verdadeiros tesouros (às vezes, incompreendidos), não sendo a sua rabugice senão o sinal de que se preocupam, se interessam ou, numa palavra, amam. ;-)

mike disse...

Hum... Luísa, curiosa essa defesa tão convicta das mulheres rabugentas... nem sei o que pensar. ;)

Arquivo do blog