7.3.09

Les uns et les autres.

Arrisco a que me digam o que eu já sei e, em certa medida concordo. Que salvo raras excepções, temas, conceitos ou fenómenos, não devem ser generalizados, muito menos quando se trata ou envolvem o ser humano. Generalizemos, então. As mulheres são seres mais intuitivos, dotadas de uma sensibilidade superior à do sexo forte, com uma inteligência emocional mais desenvolvida e de sentidos mais apurados, dizendo-se até, sem que nunca tenha sido confirmado tecnicamente, serem possuidoras de mais um sentido. Creio também serem mais emotivas e, aparentemente, serem mais frontais e com uma relação mais próxima do que é essencial. Julgo, também, serem menos apegadas a bens materiais. Será? Dois grupos de amigos, um apenas com mulheres, outro só de homens, reunem-se em locais separados para confraternizarem. As agendas são, claro, diferentes, tendo somente como ponto comum o encontro com uma amiga arredia no grupo feminino, e um amigo desaparecido no grupo masculino, ambos com casos novos nas suas vidas sentimentais. Elas vêem a amiga feliz e, todas ao mesmo tempo, disparam as perguntas que a curiosidade não conteve. No grupo das mulheres, com a amiga acabada de chegar e ainda atordoada com os olhares que a trespassam e sem saber a quem responder, a primeira pergunta é o que é que ele faz? No grupo dos homens, depois dos abraços e das saudáveis parvoeiras, a conversa vai fluindo, sendo que a pergunta o que é que ela faz? nunca se coloca, apenas ficando para alguns pensamentos maliciosos, e quiçá invejosos, dos restantes homens. Talvez por ser desnecessária, face à alegria e ao ar feliz do amigo. Sou levado a concluir que o que se diz das mulheres é verdade, menos o menor apego aos bens materiais.

25 comentários:

Luísa disse...

Falso, Mike. A pergunta «o que é que ele faz» é apenas parte da curiosidade. Se a resposta for: «é banqueiro, advogado, empresário», a reacção será de indiferença geral. Se a resposta for: «é fotógrafo, pintor, arqueólogo», as fileiras serão percorridas por um frémito de interesse. E se a resposta for: «é camionista de um TIR, marinheiro ou caçador de leões», a excitação atingirá o seu auge. É a isto que chama apego aos bens materiais? ;-D

fugidia disse...

Toda a razão Luísa,
sobretudo se for camionista de um Tir........................
(ai que saudades de umas belas fotografias postadas no «bom fim-de-semana»...)
:-D


Meu caro Mister, digo-lhe que os pensamentos maliciosos, e quiçá invejosos, também se verificam no grupo das mulheres, no que respeita ao... hã... hum... pois...
;-p

Luz disse...

Mike,

Esse tema é para mim apaixonante. Sou uma estudiosa das diferenças verbais,linguísticas e não verbais dos homens e mulheres.
Mulheres são mais curiosas e falam mais de assuntos pessoais. Os homens falam sobre generalidades e quase nunca dos assuntos pessoais.
Mulheres são mais competitivas, no item " machos". Homens respeitam mais as "presas" dos amigos.
Quanto ao apego aos bens materiais não sei se entendi bem..... Mas creio que sejam muito parecido neste item.
Bom sábado

Lucia

Margarida disse...

Isso...
Vamos então pela genética...acho essa coisa da genética muito enfadonha mas ela é que nos move (e o dinheiro, mas se escrever isso agora vou dar razão ao texto)

O pássaro vai buscar os melhores ramos para fazer o ninho. Os leões rejubilam-se para que a leoa os escolha para "reproduzirem-se", a natureza toda é assim; a mulher procura aquele que possa assegurar conforto a ela e aos seus...

Anos de independência financeira não fizeram a fêmea esquecer-se que do conforto do lar e a possibilidade da descendência poder ser materialmente feliz se faz uma boa união...
(safei-me?)

JúliaML disse...

mas que treta, Mike!!!Concordo com a luisa e a Fugi.

Teria muito mais a dizer em lugar apropriado :-P

LADY-BIRD, ANTITABÁGIKA, FÃ DO JOMI LOL E JÁ AGORA DOS NOSSOS AMIGOS ANTI-TECNOLOGIAS: MARCHANTE´S (se não existissem tinham que ser inventados) disse...

lol... o que é que o Mike faz? lol
estava a brincar... não sei, mas acho que ainda há aquela ideia que a mulher pode ser sustentada pelo homem, mas nunca o homem ser sustentado pela mulher, daí que elas perguntem o que faz... é natural, não é racional, já vem das mães e avós que sempre preocupadas com as filhas e netas, fazem essa pergunta...

contudo eu não faço perguntas dessas...ou não fazia...lol

beijinnho

Mike disse...

Luísa a sua tese e respectiva defesa é perfeita e inatacável. Ou deveria dizer quase perfeita e inatacável? A defesa orienta-se e fundamenta-se no subterfúgio da curiosidade feminina e numa tentativa de nos fazer acreditar em inocentes emoções. Mas a pergunta "o que é que ele faz?", sendo a primeira, leva-me a crer e dificilmente serei convencido do contrário, que o que as move a fazê-la é um interesse e apego a bens materiais. :D

Mike disse...

Fugidia, a menina não consegue esconder uma cumplicidade, própria das mulheres, com a tese da Luísa, refugiando-se no exemplo do camionista do TIR. ;D
Ah, e não tenho dúvidas que esses pensamentos pecaminosos e maliciosos se verifiquem no grupo das mulheres, no que respeita a... isso, pois. (risos)

Mike disse...

Lucia, estamos de acordo em relação à competitividade feminina no que diz respeito ao item "machos" e ao maior respeito masculino relativamente às "presas" dos amigos. "A mulher de um amigo, para nós é um homem". (risos)
Quanto ao apego aos bens materias, porque será que a pimeira pergunta é "o que é que ele faz"? ;)

Mike disse...

Diria que sim, Margarida... que se "safou". (risos)

Mike disse...

Júlia, se para se considerar cumplicidade são precisas duas mulheres, com três já se pode considerar solidariedade. ;D
Fico a aguardar, com confessada curiosidade, o que mais tem para dizer em local apropriado. :)

Mike disse...

Lady Bird, é natural e é racional. Então devo depreender que concorda comigo, que as mulheres são mais apegadas a bens materiais que os homens. :)

LADY-BIRD, ANTITABÁGIKA, FÃ DO JOMI LOL E JÁ AGORA DOS NOSSOS AMIGOS ANTI-TECNOLOGIAS: MARCHANTE´S (se não existissem tinham que ser inventados) disse...

lol...Mike talvez... quanto mais velhas mais ligam, em novas nada disso interessa... acho eu, mas não se pode generalizar...

beijinho

fugidia disse...

Saiba, Mister, que o meu pirata é também um fantástico (no sentido de... enfim... hum... pois...) camionista de TIR.
Com efeito, quem mais poderia tomar, ao pequeno-almoço, uns ovos estrelados com salsichas e uma imperial? :-D
(risos muito abafados)

Luz disse...

Mike,

Agora entendi. Mas desde os primatas que é assim.
Mulheres sempre dão maior valor ao mais forte e capaz. Ele é o caçador. E sendo forte e capaz sobreviverá e não deixará faltar alimento ao lar.
Agora me diz o que é camionista de TIR?

Mike disse...

Talvez, Lady Bird, talvez... mas o gene está lá, desde pequeninas. (risada)

Mike disse...

Lá está, Fugidia, não se pode generalizar. (risos)
Mas olhe que eu conheço gente que não anda com um TIR nas mãos e toma pequenos-almoços desse calibre. (mais risos)

Mike disse...

(risos)
Lucia, camionista de TIR é o cara que dirige caminhão. Não sei como se diz aí no Brasil. :)

fugidia disse...

Eu também, Mister...
:-D

Marie Tourvel disse...

Tell me more, tell me more... :)))))

(Aqui no Brasil se diz caminhoneiro. Mas eles são muito rudes. Não rola, não. :))))) )

fugidia disse...

Marie,
a história do camionista de TIR foi, em tempos, noutro local, com outros intervenientes, o mote para a Luísa e eu concluirmos que "temos, assumidamente, uma alma «proletária» e, como tal, gostos refinados" e pressentimos no "jovem camionista de TIR" "uma força da natureza" com relevante interesse... :-D
E eu não resisti e aproveitei esta nossa quase "private joke" para brincar :-)

Gosto de ler os seus livrinhos de bolso, a propósito :-)))

(Mister, desculpe lá o abuso, sim? :-) )

ana v. disse...

Tretas, Mike. As mulheres hoje em dia sabem bem que têm de contribuir em igualdade de circunstâncias, no mínimo. E é quando não sustentam os seus homens... há carradas de casos assim, e cada vez mais.

E fica sabendo que nem sempre a pergunta "o que é que ele faz" se refere à profissão... pois!

Mike disse...

Não tem que se desculpar, Fugidia. Eu é que tenho que lhe agradecer, porque essa joke era tão private que a desconhecia. E não saberia responder à Marie. :)

Marie, a Fugidia told you more, que eu não saberia o que contar. Mas calculava que não rolasse... (risos)

Mike disse...

Ups, ah não Ana? Eu ia jurar que sim, mas afinal... hum, pois, sempre a aprender, mesmo na minha idade.

Luz disse...

Mike,

Como já lhe disse Marie, aqui no Brasil chamamos de caminhoneiros. Há mulheres caminhoneiras também.
E a fantasia....é livre não?
Beijos

Arquivo do blog