31.8.08

Foram boas as férias. Férias?

Deitar tarde porque os mais velhos precisam de atenção levantar cedo porque o mais novo é madrugador pequenos-almoços mergulhos matinais na piscina e jogos de futebol no jardim preparar os lanchinhos para a praia e arrumar os sacos de praia não esquecer de espalhar o creme protector fazer castelos na areia e estradas e túneis apanhar ondas mesmo as grandes que a bandeira está verde mais uns jogos de futebol e de raquetes lançar o papagaio que o vento está de feição comer gelados voltar para casa mais uns mergulhos na piscina há quem queira uma tosta mista especial feita pelo pai e mais outra que estava muito boa pensar o que será o jantar enquanto os banhos são tomados fazer o jantar arrumar a cozinha verificar se as toalhas de praia não ficaram espalhadas no jardim para não as termos molhadas no dia seguinte por causa da rega automática ver um filme com o mais novo ultrapassar uma birra que o combate ao sono é um combate perdido deitar o caçula ver um filme com a mais nova jogar cartas com os mais velhos os olhos fecham-se estou cansado estou de férias deito-me abro um livro e consigo ler meia página. Deitar tarde porque os mais velhos precisam de atenção levantar cedo porque o mais novo é madrugador pequenos-almoços mergulhos matinais na piscina e jogos de futebol no jardim preparar os lanchinhos para a praia e arrumar os sacos de praia não esquecer de espalhar o creme protector fazer castelos na areia e estradas e túneis apanhar ondas mesmo as grandes que a bandeira está verde mais uns jogos de futebol e de raquetes lançar o papagaio que o vento está de feição comer gelados voltar para casa mais uns mergulhos na piscina há quem queira uma tosta mista especial feita pelo pai e mais outra que estava muito boa pensar o que será o jantar enquanto os banhos são tomados fazer o jantar arrumar a cozinha verificar se as toalhas de praia não ficaram espalhadas no jardim para não as termos molhadas no dia seguinte por causa da rega automática ver um filme com o mais novo ultrapassar uma birra que o combate ao sono é um combate perdido deitar o caçula ver um filme com a mais nova jogar cartas com os mais velhos os olhos fecham-se estou cansado estou de férias deito-me abro um livro e consigo ler meia página.

O meu dia-a-dia multiplicado por dois e não por quinze para poupar quem me leu pelo menos até metade. Para o ano a casa terá que ter mais um quarto porque levo uma babysitter, de preferência brasileira para os miúdos se entenderem com ela. Foram boas as férias, mas preciso de férias.

7 comentários:

JúliaML disse...

olá, amigo! nem sei que lhe diga...
:-)
beijinho

ana v. disse...

Poor Mike...

Olhe, tem uma vantagem: o regresso ao trabalho fica a parecer uma bênção!
:)

mike disse...

Não dia nada, Júlia. Vida de pai, escolhida pelo pai. Sorriso nos lábios e há que andar para a frente, olhando sempre para o lado positivo. :-)

E não é que foi mesmo assim, Ana? (risos)

JúliaML disse...

:-)
não é por acaso que no tempo da minha mãe se levava sempre a empregada a trote.

saiu,pelo menos da rotina, Mike :-)

ri um pouco com "a benção" a Ana

Luísa disse...

Mike, como eu o compreendo! Durante muitos anos, as férias foram estafantes, tantas e tamanhas eram as solicitações filiais. Mas mesmo agora, que tudo se reequilibrou, o regresso às rotinas anuais (que é como quem diz, o recomeço das aulas) tem sempre um efeito calmante, quase revigorante. :-)

mike disse...

Coitada da empregada, Júlia... ela ia a trote e os senhores iam de coche? (risos abafados)

Ah, Luísa, haja quem me entenda... (risos)... venha de lá a rotina diária... :D

hi disse...

Como eu o compreendo!...
E já não me sinto sozinha neste mundo...
Infelizmente, a minha atitude positiva (que é esacassa mas muito mais ampla do que há alguns anos atrás) não me impede de continuar a agradecer o dia do regresso ao trabalho.